Parto Humanizado Hospitalar
Relato de Parto da Karen Leoncini
Relato de parto humanizado do Coletivo Nascer de São Paulo em Água Branca

Relato de Parto da Karen Leoncini

Relato de um Parto Natural

Sempre achei estranho a maioria das mulheres que queriam parto normal acabar em cesárea. Somente uma amiga tinha conseguido parto normal. Então engravidei e fui logo falar com ela que me indicou o Coletivo Nascer, lá eu fiz meu pré-natal junto com mais 40 outras gestantes, todas com previsão de parto para maio. Foi sensacional, as consultas eram coletivas com 3 opcões de horários o que dava umas 10 a 15 mulheres por consulta dividindo e compartilhando suas dúvidas daquele momento tão especial e delicado.

Em janeiro foi revelado o sexo masculino, que emoção!!! Fiquei tão feliz e principalmente pelo Guto que tem duas filhas lindas e queria um menino.

Porém, logo depois descobri com 5 meses que estava com diabetes gestacional, cai no choro e desespero, preocupada em afetar meu filho e também com medo de ir para cesárea, mas a equipe é sensacional e em nenhum momento cogitaram cesárea, passaram uma cartilha com instruções, eu segui a risca e a partir deste momento não engordei quase nada, total de 8,5kg durante toda a gravidez.

Com 39 semanas e 3 dias, no único dia que havíamos combinado com o Arthur que ele não podia nascer pois tínhamos 4 eventos no mesmo dia e o papai não iria poder ver o parto, o garoto cheio de personalidade logo avisou que quem decide a hora de nascer é ele. Pois bem, foi uma loucura, enquanto estava rolando toda organização do evento eu gritava de dor esperando a doula que logo chamou o Uber quando chegou. A bolsa estourou no hospital quando dei entrada porém ainda foram mais algumas horas de trabalho de parto, minha irmã Paola chegou e pode acompanhar tudo e dar todo apoio junto com a equipe do Coletivo Nascer e a doula Kalu Brum que fez toda a diferença. E no dia 25/05 às 14h44, depois de 6 horas de trabalho de parto ativo, chegou meu pucutuzinho num parto natural (sem anestesia, sem episiotomia, aquele corte embaixo, e sem ponto). Doeu? Muuuuuuuuito, foi louco mas completamente emocionante. Quando meu filho nasceu e veio direto ao meu colo e não saiu mais, somente para pesar, foi divino. 

Minutos depois eu já estava amamentando e fazendo piadas, a Paola cortou o cordão umbilical após terminar de pulsar. E quando subi para o quarto eu já podia sentar na cama e levantar, inclusive para trocar e cuidar do meu baby e no dia seguinte já estava ótima que até poderia ter alta se não fosse pelo Arthur que precisava ficar 48 horas. 

Tudo foi tão mágico, dolorido e intenso mas sai mais confiante e feliz, certa de que se eu passei por tudo isso seria capaz de cuidar bem de um recém-nascido.

Pra mim, isso sim é empoderamento feminino

Fui eu que tive meu filho, não foi nenhum profissional que fez ele nascer. Fui eu!!! Pois sou totalmente capaz e longe de desmerecer os profissionais que são importantes e me acompanharam maravilhosamente mas o parto fui eu que fiz.

E depois de tudo isso ainda tenho a rede de apoio das 40 mulheres que juntas estamos passando pelas mesmas coisas, nos falamos diariamente e nos vemos de tempos em tempos. Que escolha mais abençoada que eu fiz em fazer meu parto com o Coletivo Nascer.

❤Agradeço imensamente minha grande amiga da vida Camila Santiago Torresque me orientou e indicou tudo.

❤Agradeço a minha doula @kalubrum que foi maravilhosa no parto me fazendo suportar tudo com muito carinho.

❤Agradeço ao @coletivonascerque foi e ainda tem sido fora do comum no acompanhamento do parto e pós-parto.

❤Agradeço a minha irmã Paola Leoncini que esteve presente num dos momentos mais importantes da minha vida.

❤E agradeço ao meu marido, amigo e companheiro Guto Ziani que me proporcionou esta família linda que estamos construindo juntos com muito amor.

Arthur, meu filho, a mamãe te amo muito!! ❤❤

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho