Parto Humanizado Hospitalar
Uma equipe pra chamar de sua por Gabrielle Carleto

Uma equipe pra chamar de sua por Gabrielle Carleto

A escolha pelas pessoas que estarão no parto é muito importante no processo das tomadas de decisão durante a gestação. Além de decidir o local onde se quer parir, qual ou quais familiares se quer por perto, a mulher decide também qual profissional acompanhará sua gestação, trabalho de parto e parto. Normalmente essa escolha passa por questões de confiança, distância do consultório, locais de atendimento, empatia e valores a serem pagos.

Mas o que costuma ter maior apelo é justamente a proximidade afetiva. Por isso, é comum que as gestantes optem por profissionais que já conhecem há mais tempo e acabam assim se referindo aos mesmos como “meu médico” ou “minha médica”, extendendo portanto este tratamento à todas as pessoas da equipe, ou seja, “minha obstetriz”, “minha doula”, e assim por diante. Apesar de ser absolutamente compreensível tal comportamento, entendemos que não é de todo compatível com a realidade, pois além de haver outras mulheres atendidas pela mesma profissional, não é garantido que aquela pessoa estará presente no dia do parto, e é por isso que costumamos ter backup (uma substituta caso seja necessário).

No Coletivo Nascer acreditamos e incentivamos uma relação diferente com a equipe. Nos organizamos em regime de disponibilidade, o que significa que 24 horas por dia, 7 dias por semana a equipe está de prontidão pra atender partos, emergências de todo tipo, etc. Nessas 24 horas as profissionais se rodiziam para cobrir a escala. As mulheres que nos procuram ainda no início da gestação têm a oportunidade de, no pré-natal, conhecer a equipe completa ou quase completa, e desenvolver vínculo com as profissionais, ao passo em que criam confiança em si mesmas e nos processos do trabalho de parto e parto.
É evidente que esse sistema não funcionará para todas as mulheres, e há quem prefira o modelo tradicional de acompanhamento.

Em contrapartida, há mulheres que se sentem mais confiantes e cuidadas ao saberem que existem 15 pessoas em uma equipe discutindo, pensando e repensando o seu “caso”, equipe essa que encontra respaldo nas evidências científicas sólidas e nas reuniões e discussões periódicas em grupo.
Do ponto de vista das profissionais, uma vez que o evento do nascimento não é previsível, a solução encontrada por nossa equipe foi sermos nós, então, a parte previsível da equação. Sendo assim, sabemos os dias e horários em que vamos trabalhar, e os nascimentos vão acontecendo naturalmente, em qualquer horário sempre com alguém disponível e descansada, pronta para atender.

Ouso afirmar, depois de trabalhar no Coletivo Nascer, que a melhor pessoa pra atender um parto é a pessoa descansada. Inclusive, temos muitos relatos de mulheres que se sentiram beneficiadas pela troca de equipe durante o trabalho de parto. Sai a equipe cansada, e chega uma equipe renovada, disposta.
É claro que também é possível descansar em um trabalho em equipe que se organiza de maneira tradicional, mas isso fica mais fácil com um número restrito de mulheres atendidas por mês. Portanto, é importante que a escolha da equipe seja feita depois de muita pesquisa e informação, pra que as mulheres possam optar por aquilo que represente e acolha seus desejos, e que elas tenham suas escolhas respeitadas.

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho